E-commerce: ameaça ou oportunidade?

ecommerce

Diminuição do custo de manutenção. Crescimento das vendas. Aumento do público alvo e consumidor. Pode parecer um sonho para qualquer empreendedor, mas na verdade é apenas o retorno atual dos investimentos em E-commerce, quando feitos da maneira correta.

Sabe-se que, com o avanço da tecnologia e a crescente imersão na internet, o consumidor está criando novos hábitos de compra e migrando parte dos seus gastos para lojas online. Não coincidentemente, muitas empresas têm, cada vez mais, investido nas vendas pela Internet, tanto para abranger seu público alvo, como para maximizar seus lucros, justamente por conta da nova tendência de E-commerce no mercado brasileiro.

Um exemplo a ser citado é a empresa varejista Magazine Luiza, por ser uma das empresas que mais se destaca no ramo. Sendo a pioneira no comércio online (começaram em 1992), em 2016 continuam crescendo exponencialmente, fato que pode ser observado após as vendas aumentarem cerca de 28% no primeiro trimestre de 2016, quando as vendas do setor no geral subiram apenas 1%, de acordo com a consultoria E-bit.

Entretanto, o pequeno e microempreendedor questionam-se: como investir no setor de E-commerce?

Primeiro, ressalta-se que é necessário foco integral em seu negócio online. Não basta simplesmente abrir uma loja online que tudo estará resolvido. Os riscos, inclusive, são até alarmantes: de acordo com a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, 3 a cada 10 lojas virtuais encerram suas atividades em menos de 2 anos de funcionamento, estatística que aponta mortalidade 25% maior do que das lojas físicas no país. A única maneira de evitar o insucesso, portanto, é a grande dedicação e proximidade ao seu negócio, garantindo planejamento, estruturação, delegação de tarefas, definição de público e segmento, escolha de produtos e fornecedores adequados para que sua loja deslanche.

Em segundo, é recomendado que se comece estudando o mercado de atuação e que se aponte os diferenciais de sua empresa. Muitos empresários e empreendedores hoje se esquecem dessa fase da atuação, um erro que costuma ser caro. O ideal é fazer um mapeamento detalhado não somente do segmento ou do perfil do consumidor, mas também do comportamento deste mesmo comprador em ambiente cibernético, a fim de prever a atuação dos clientes nas vendas e poder assim maximizar suas vendas.

Por fim, essa última dica pode parecer um tanto quanto óbvia, mas é extremamente necessária. Aproveite de sua experiência profissional em seu negócio. Cometer erros que poderiam ter sido evitados, além de gastar tempo, é extremamente contraproducente e pode por vezes acabar com seu sonho de sucesso financeiro. Assim, por que não se utilizar de conhecimentos adquiridos no passado?

Seja como for, o mercado de e-commerce é um dos que mais vem crescendo no cenário brasileiro e mundial e de certo vale a atenção do empreendedor. Porém, as pessoas não se devem deixar inebriar pelo mítico pensamento de que o e-commerce trará lucro sem esforço e que será um trabalho paradisíaco. Para que dê certo, é necessário constante dedicação e trabalho, além de um profundo controle dos resultados. Caso contrário, o fracasso eclodirá e uma oportunidade de mercado se tornará em uma ameaça à higidez da empresa.