Como um bom líder reage à crises

lider

Há algo em momentos de crise que traz à tona o melhor, ou mais comumente, o pior, em lideranças. Nesses momentos é preciso agir. Nos EUA, o ex-prefeito de Nova York, Michael Bloomberg foi duramente criticado por não tomar frente durante uma tempestade de neve. Do outro lado do rio Hudson, Cory Booker – ex-prefeito de Newark – foi aclamado por sua postura durante a nevasca, quando pegou as pás e ajudou na remoção da neve. Aqui estão algumas dicas quando a próxima tempestade assolar sua empresa:

Pare um momento para entender o que está acontecendo. Numa conversa recente, um executivo apontou que sofreu uma forte ruptura durante o serviço de um dos departamentos do qual era encarregado. Já que estava em comando ele disse que a primeira resposta foi conversar com todos de uma só vez. As discussões foram nervosas, não construtivas e sem retorno; então ele delegou tarefas e marcou uma reunião depois de uma hora. Isso ajudou a impor ordem numa situação caótica.

Aja rapidamente, não apressadamente. Um bom líder deve saber a hora certa de agir. Mas agir apressadamente só deixa pessoas mais nervosas. É possível agir com deliberação ao mesmo tempo com velocidade.

Gerencie as expectativas. Quando a crise bate à porta, todos querem que o fim da mesma venha em segundos – mas raramente soluções muito rápidas são possíveis. É papel do líder tratar do tamanho e do escopo da crise. Não é necessário alarmar pessoas, mas não se pode deixar de falar da magnitude do que está acontecendo. Winston Churchill era um mestre em sintetizar crises e oferecer uma resposta ao mesmo tempo. Como ele disse, enquanto primeiro ministro ““Você pergunta, qual é seu objetivo? Eu posso responder em uma palavra. É vitória, vitória a qualquer custo, vitória apesar de todo o terror; entretanto a caminhada pode ser longa e dura, porque sem vitória não há sobrevivência”.

Demonstre controle. Quando as coisas estão acontecendo rapidamente, talvez ninguém tenha controle, mas um líder deve assumir o controle. Isso significa, você não controla o desastre, mas você controla a resposta. Um líder se pôe em movimento e traz os recursos e as pessoas junto a ele.

Por fim, um líder é sempre posto em teste durante crises. E aqueles que se empenham diretamente, mas continuam mantendo sua perspectiva, são aqueles que ajudarão organizações a sobreviver.