A grande variedade dos modelos de negócios

A grande variedade dos modelos de negócios

Diferentes necessidades e objetivos exigem diferentes modelos para a sua empresa.

Organização e planejamento são essenciais para implementar o melhor modelo de negócios possível na sua empresa. Existem dezenas de opções para serem escolhidas, cada uma com os seus benefícios e desvantagens, e que se encaixam melhor em diferentes setores e serviços. 

O seu modelo de negócios pode envolver um software, serviço ou produto a ser oferecido de diferentes formas. Seja com uma assinatura ou pagamento único, digital ou físico, completamente gratuito ou com ferramentas específicas para quem quiser pagar um valor adicional. É importante entender a jornada do seu cliente para identificar qual desses modelos será o mais benéfico para a sua empresa. 

Vale ressaltar que com a evolução da sua empresa diferentes versões ou até uma mudança de modelo é possível, algo que grandes e pequenas empresas fazem com frequência.

Separamos onze dos principais modelos de negócios da atualidade para auxiliar você nessa escolha, confira:

  1. Software as a Service (SaaS): Esse modelo consiste, como o nome indica, em oferecer um software como serviço e cobrar uma taxa fixa para o seu uso. Ferramentas de organização de trabalho, coleta de dados e marketing digital são muito populares nessa área, como a Conta Azul e o SemRush.

  2. Freemium: A mistura de serviços grátis com conteúdo premium. A base da plataforma ou serviço é gratuita, mas usuários que quiserem benefícios ou utilidades adicionais pagam pelo serviço, geralmente 10% da base total. Muito popular com jogos digitais como Candy Crush, mas cada vez mais serviços oferecem contas “vip” ou “premium” como o Spotify, YouTube ou Dropbox.
  3. Grátis: Falando em YouTube, seu modelo original é totalmente gratuito tanto para assistir quando para publicar vídeos. Aqui, a forma de lucrar está relacionada às propagandas que aparecem nos vídeos. O mesmo serve para muitos sites de notícias que, assim como o YouTube, recentemente começaram a adotar modelos freemium, paywall ou de assinatura para alguns conteúdos.

  4. Paywall: Este é mais popular entre os veículos de comunicação, principalmente os jornais. Como o nome implica, é uma barreira financeira para acessar o conteúdo completo. Os jornais oferecem algumas notícias grátis por mês ou trechos dos textos para os não pagantes.

  5. Assinatura: Os serviços de assinatura não são nada novos; Revistas e jornais chegavam diretamente nas casas de quem fazia o pagamento mensal ou semanal para recebê-los. Hoje eles são ainda representados pelos serviços de streaming como Netflix e HBO Go. Ao contrário do Freemium, todo o conteúdo das assinaturas está disponível apenas para quem assina o serviço.

  6. Marketplace: São plataformas abertas, onde diferentes fornecedores oferecem seus produtos, como o Uber e Airbnb. A plataforma regula as partes e promove interações, facilitando e dando velocidade as transações, que agora ficam centralizadas em um único espaço e facilitando o acesso para os consumidores.

  7. Isca e Anzol: É a prática de oferecer um produto básico a um preço baixo e fidelizar o cliente, que vai precisar recorrer aos serviços com frequência para fazer recargas, gerando mais lucro para a empresa. Exemplos incluem Gillette e Nespresso.

  8. Online to Offline: Também conhecido como O2O, esse modelo busca encontrar os clientes no mundo digital para direcioná-los a serviços offline. Compra, pagamentos e avaliações são feitas no site ou plataforma, mas o produto ou serviço é recebido ou utilizado presencialmente, como no Groupon ou Booking.com.

  9. Franquias: Muito tradicional, o franchising foi popularizado pelas redes de fast food como McDonalds e Subway. Uma franquia oferece o direito de utilizar a marca e estrutura de gestão para um terceiro, que se beneficia de começar sua franquia com a reputação de uma marca já forte.
  10. Crowdsourcing: Muito popular atualmente com sites como Kickante, Vakinha e muitos outros no Brasil e no mundo, o financiamento coletivo é uma forma de conseguir investimento e viabilizar o seu projeto. Oferece ferramentas e utilidades conforme metas vão sendo batidas e também o feedback do público na criação do produto.
  11. Time Sharing: É o compartilhamento de uma estrutura ou produto por um determinado período de tempo. Esse modelo tem crescido bastante nos últimos anos, especialmente com o compartilhamento de modos de transporte como bicicletas e até mesmo carros.

Agora que você conhece diferentes modelos é importante decidir se vai seguir algum ou, idealmente, criar algo único, que melhor se adapte a sua realidade, já que cada negócio possui as suas particularidades.

Se tiver dúvidas sobre como dar o próximo passo, pode ser o momento de procurar uma consultoria empresarial. Nossos serviços podem ajudar a colocar a sua ideia em ação. Entre em contato para saber mais. 

Email: contato@ejfgv.com
WhatsApp: (19)99781-2912

Leave a Reply

Your email address will not be published.