Liderança: a excelência começa de cima

Liderança: a excelência começa de cima

A hierarquia de liderança e liderados está presente nas organizações humanas desde os seus primórdios: de caciques à presidentes, todos os grupos necessitam de um líder. E, dependendo da sua maneira de liderar, é ele que levará o grupo ao sucesso ou ao fracasso.

Na nossa sociedade, muitas pessoas ainda acreditam que “chefe” e “líder” são a mesma coisa. Mas, apesar de estarem intrinsecamente interligadas, essas duas palavras têm definições diferentes. “Chefe” é que está na posição de chefia, ou seja, na hierarquia corporativa está acima de certos cargos, e comanda alguns deles, designando tarefas e supervisionando os fluxos e resultados. Por causa da cultura corporativa construída nos últimos anos, os chefes acabam por cair em uma categoria autoritária, a qual se preocupa com os resultados acima de tudo, que apenas dá ordens, críticas ou broncas. Dentro do estereótipo, chefes comandam através do medo, não através do exemplo.

E é dentro desse mesmo contexto que os líderes ganham uma definição diferente: são os que comandam com empatia, carisma e humildade, fazendo com que sua autoridade seja realmente respeitada e não apenas temida. 

Segundo o autor Idalberto Chiavenato, “ser líder é o processo de conduzir um grupo de pessoas. É a habilidade de motivar e influenciar os liderados para que contribuam da melhor forma com os objetivos do grupo ou da organização.” 

Os líderes “vestem a camisa”, caminham junto com o resto da equipe em direção aos objetivos e se preocupam com a pessoa que está por trás de cada funcionário. Valorizam o trabalho duro, mas também sabem os limites de seus colaboradores, reservando tempo essencial para o descanso. Eles têm a capacidade de identificar e entender o potencial e especialidade de cada um de seus funcionários, atribuindo tarefas e funções que trarão a tona o melhor deles, e só propõem desafios quando sabem que ali o funcionário terá a oportunidade de crescer e aprender, e não só sofrer e se preocupar. Passam confiança e seus funcionários sabem que podem contar com ele quando precisam de ajuda ou orientação extra.

Para uma equipe caminhar para frente de maneira produtiva, eficiente, mas sem esquecer do lado humano, ela depende totalmente da orientação de um bom líder, que usa todo seu poder de empatia e compreensão para equilibrar os fluxos de trabalho, atribuir a responsabilidade ideal para cada tipo de funcionário e passar instruções claras, objetivas e bem estruturadas.

Com essas definições, é fácil perceber que nem todos os chefes são líderes, e que não é obrigatório ser chefe para ser um líder. Mas também fica fácil de entender que para ser um bom chefe não basta apenas entender bastante do assunto: é essencial ser um bom líder, já que é uma função que vai muito além de expertise, e exige um entendimento profundo dos conceitos de Liderança e de como lidar com outros seres humanos. Por mais que sejam eficientes e produtivos, funcionários não são máquinas, e não devem ser tratados como tal.

Se o que a sua empresa precisa é que seus líderes ocupem as posições de chefia, conte com os serviços operacionais da EJFGV, para ajudar a otimizar e reestruturar suas equipes e aumentar a eficiência e produtividade do seu negócio.

Leave a Reply

Your email address will not be published.