Blog

Métodos de custeio: os 4 melhores e por que usá-los

Conhecer os métodos de custeio é fundamental para garantir resultados precisos e produtivos em um mercado cada vez mais competitivo. Por isso, a EJFGV preparou esse texto para você que quer ganhar autoridade no cenário empresarial.

Primeiramente, é preciso reconhecer que empresas buscam o lucro, não importa o porte: pequeno, médio ou grande. É a lucratividade que garante a sobrevivência dos negócios no mercado. Por isso, para bater as metas, os gestores devem considerar todos os fatores envolvidos nas operações. E esse é exatamente o caso dos métodos de custeio, que consistem em uma forma de agregar os custos de fabricação aos preços de vendas.

Ao longo do texto, vamos explicar melhor o conceito e as utilidades dos métodos de custeio, apresentando os mais comuns e suas respectivas diferenças. Você ainda entenderá quando eles podem ser aplicados, já que existem diferenças entre os diferentes métodos de custeio.

O que são métodos de custeio?

Métodos de custeio consistem em ferramentas que ajudam os líderes empresariais a calcular as despesas originadas pela fabricação de um produto. Dessa maneira, é possível fazer a gestão do custo unitário de cada item, o que representa uma etapa importante para definir a precificação das mercadorias.

Os cálculos colaboram com a identificação da rentabilidade e com as análises de desempenho financeiro dos negócios, principalmente quando o volume das operações organizacionais cresce.

Mesmo se as atividades empresariais sejam de grande complexidade, são os métodos de custeio que oferecem uma visão mais detalhada e precisa dos lucros aos gestores. Esses profissionais promovem, com base nos cálculos, avaliações dotadas de critérios que buscam entender as prioridades e oportunidades futuras.

Para que servem os métodos de custeio?

Os métodos de custeio servem para auxiliar no gerenciamento das indústrias e torná-las ainda mais competitivas. A aplicação da técnica garante a saúde dos negócios, pois permite a identificação do valor gasto em uma produção, o que permite cobrar um preço justo pelas mercadorias.

Se os diretores de uma indústria não têm dimensão de qual é o montante envolvido na fabricação de um item, podem cobrar um preço incapaz de cobrir todas as despesas envolvidas no processo produtivo. Ou seja, a métrica de preço adequada depende do uso correto dos métodos de custeio. 

Portanto, é indispensável conhecer cada cálculo e compreender o momento em que exigem adaptações para atender às necessidades do negócio.

Os 4 principais métodos de custeio

A implementação de um método de custeio eficiente em um negócio está ligada ao entendimento dos profissionais envolvidos sobre como deve ser calculado o custo de determinados produtos. Eles analisam e selecionam o mais adequado dentre os métodos mais conhecidos e que já foram testados por outros empresários. Veja na sequência os quatro principais métodos aplicados por indústrias:

1. Custeio variável

Extremamente objetivo e simples, o custeio variável é o método usado por organizações comerciais e industriais. O cálculo se baseia apenas nos gastos variáveis para definir os preços de venda dos produtos. Desse modo, incluem-se as despesas que variam de acordo com o faturamento e o volume de produção.

Entre as vantagens de se aplicar essa técnica estão sua objetividade e a ausência de interferências. Ou seja, as modificações do estoque não impactam nos cálculos que avaliam a lucratividade. Por este motivo, os diretores desenvolvem planos certos e tomam decisões mais precisas. A margem de lucro é obtida instantaneamente para facilitar o gerenciamento e obter rentabilidade. 

2. Custeio por absorção

O custeio por absorção consiste em um dos métodos mais aplicados por empresários, visto que requer apenas intuição. Ele é o único que consegue atender às exigências contábeis e fiscais com eficiência, pois engloba todos os montantes relativos ao custo unitário das mercadorias vendidas. Nele se considera cada despesa variável e fixa oriunda do processo produtivo.

Por essa razão, os administradores precisam distinguir os gastos de modo usando diferentes critérios. Somente as quantias associadas aos produtos vendidos participam desse cálculo. Assim, recursos investidos em atividades financeiras ou administrativas não entram em cena.

A vantagem do método está na consonância com as leis contábeis e tributárias. Além disso, sua implementação é menos trabalhosa por não envolver operações de separação dos custos. O método também oferece dados precisos e úteis para a demonstração de resultados e planejamentos de negócio a longo prazo.

3. Custeio ABC

Também conhecido como Activity-Based Costing (ABC), esse método refere-se ao rastreamento dos custos de todas as fases das operações executadas pelas empresas. Com ele, os gestores verificam como as etapas influenciam no consumo dos recursos e na geração das receitas. Essa técnica é mais complexa, porém se destaca em eficiência.

As vantagens incluem a possibilidade de averiguar com precisão os custos indiretos que não são ligados ao processo produtivo. Assim, a análise das atividades, em conjunto com a busca de dados, promove melhorias contínuas nos procedimentos, no desempenho da empresa e na qualidade das mercadorias.

4. Custeio padrão

O método de custeio padrão é eficiente para processos produtivos. Ele localiza os pontos onde há desvios de recursos ou falhas ao comparar valores com o custo real e utilizá-los como fundamento para determinar despesas efetivas. Assim, fica estabelecido o gasto ideal considerado pela empresa para obter o maior rendimento em condições plenas.

Existem variações, tais como o custo-padrão ideal, o custo-padrão corrente e o custo-padrão estimado. Os benefícios de sua aplicação consistem na previsão correta dos orçamentos para fabricação de produtos e na identificação de desempenho.

Em resumo, esses quatro métodos de custeio são muito relevantes para garantir resultados assertivos e eficientes em um cenário cada dia mais competitivo. Entender as técnicas ajuda a otimizar a lucratividade e permite que as empresas se mantenham sempre ativas, mesmo em tempos de crise.

Achou o conteúdo produtivo para a sua empresa? Então por que você não marca um diagnóstico com a EJFGV para aplicar esses diferentes métodos de custeio no seu negócio?

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress