O metaverso tende a se popularizar e, com isso, o mercado vai exigir ainda mais inovação e tecnologia das empresas. Saiba mais sobre essa tecnologia e como ela impacta seu negócio.

Blog

Metaverso: o que é e como acessar essa dimensão tecnológica?

Você provavelmente já ouviu falar sobre o metaverso, conceito muito comentado desde a mudança do Facebook para Meta e que explora cada vez mais as possibilidades da realidade aumentada

Essa nova dimensão da realidade tende a se popularizar e, com isso, o mercado tende a exigir ainda mais inovação e tecnologia das empresas. 

Nesse artigo, vamos explicar mais sobre o metaverso, como acessá-lo e como se aliar a ele

Quer saber sobre isso e um pouco mais? Continue sua leitura.

O que é o metaverso?

O metaverso é baseado em experiências vividas em um ambiente virtual – de realidade aumentada – influenciadas por fatores do mundo real, mesclando ambas as realidades.

É como se pudéssemos viver “dentro” da internet, através de avatares que trabalham, têm vida social e interagem normalmente entre si, apenas com o uso de óculos de realidade virtual.

Como o metaverso é aplicado?

Provavelmente, você já teve contato ou viu alguma forma simples de uso do metaverso, como simuladores 3D e jogos de realidade aumentada.

Isso também já pode ser visto no meio corporativo, através de reuniões online, sistemas de gestão de tempo e até treinamentos à distância. 

Contudo, a tendência é que ações cada vez mais complicadas possam ser exercidas virtualmente, como a profissão da medicina, por exemplo. Estima-se que até cirurgias poderão ser realizadas à distância.

Além disso, esse universo traz consigo conceitos com os polêmicos NFTs, os chamados Tokens Não Fungíveis. Ou seja, itens de valor único que não podem ser trocados ou substituídos e, portanto, têm maior valor agregado.

Como surgiu o metaverso?

O termo “metaverso” surgiu de um jogo da década de 2010, chamado “Snow Crash”, que misturava realidades alternativas e serviu de inspiração para diversas criações dos anos seguintes.

Já em 2021, o termo ganhou mais destaque quando o Facebook anunciou a mudança de nome da empresa para Meta, e investiu cerca de US$50 milhões no desenvolvimento de universos digitais e suas aplicações.

Como acessar o metaverso?

Como dissemos anteriormente, o metaverso tem diversas aplicações e pode ser acessado por diferentes meios

Entretanto, um rápido acesso pelo computador pode ser feito através de algumas plataformas, como é o caso da Roblox, que conta com diferentes jogos interativos, com criação de mapas e uma linguagem de script própria, chamada Lua.

Como investir no metaverso?

Como nosso enfoque é na perspectiva empresarial, vale ressaltar algumas formas de cavar seu espaço nesse meio. Veja só:

Compra de tokens

À medida que projetos despertam interesse nos usuários, seus tokens ganham cada vez mais valor.

Isso é muito comum com jogos, através de skins, itens colecionáveis, veículos, entre outros.

Compra de terrenos virtuais

Da mesma forma que é feito no mundo real, é possível comprar terrenos virtuais para vendê-los, alugá-los, ou até mesmo construir neles e capitalizá-los em seguida.

Ações

Também é possível identificar empresas que investem no metaverso e comprar suas ações, como funciona com o próprio Meta, por exemplo.

Criptomoedas

A compra de criptomoedas que se associam ao metaverso também pode ser um bom caminho de investimento, uma vez que seguido com o auxílio de empresas especializadas.

Vale ressaltar que existem algumas taxas de saques e transferências, por isso é importante contar com esse auxílio.

Fundos de investimento

Existem alguns fundos de investimento voltados apenas para esse setor, como é o caso do “Vítreo Metaverso”, lançado no Brasil em dezembro de 2021.

Quais cuidados tomar ao acessar o metaverso?

Assim como boa parte do mundo virtual, o metaverso representa uma evolução tecnológica que a legislação não conseguiu acompanhar

Por isso, existem alguns perigos a serem destacados:

Desinformação

A disseminação de fake news é um problema fortemente presente no mundo virtual e tende a ganhar muito mais força e espaço no metaverso.

Golpes

A falta de uma legislação adequada também facilita a aplicação de golpes – como roubo de criptomoedas e dados – sem respaldo às vítimas ou punição ao criminoso.

Violação da privacidade

O acesso ao metaverso exige o cadastramento de dados pessoais dos usuários que, assim como foi visto com a criação das redes sociais, podem vir a vazar em grandes quantidades.

Violência

O anonimato da realidade virtual faz com que diversas ações sejam vistas como “liberadas” por determinados usuários.

Isso faz com que já vejamos relatos de violência, opressão e assédio sexual, por exemplo, no metaverso.

Problemas psicológicos 

Um dos grandes debates acerca do metaverso é a forma como ele permite a criação de um mundo ideal, onde o usuário pode projetar suas expectativas físicas, profissionais e interpessoais.

Desse modo, pode ser que algumas pessoas passem a ter uma visão distorcida da própria realidade, como já vimos, também, com o Instagram.

Quais as expectativas para o futuro do metaverso?

A longo prazo, a expectativa é de que o metaverso se popularize cada vez mais e, assim, mude a forma como vemos o mundo no dia a dia e como nos relacionamos com as pessoas.

Um desafio desse contexto tende a ser, portanto, a conciliação dessas duas realidades de forma harmônica, permitindo o aproveitamento do virtual mas evitando o abandono máximo do real.

A ciência de dados e a inovação da sua empresa

Agora que você sabe mais sobre o metaverso, fica fácil entender que quanto mais sua empresa estiver preparada para novas mudanças, mais fácil vai ser se destacar no futuro – não tão distante. 

Para isso, é fundamental ter um bom planejamento e uma boa organização dos seus dados, assim como fazemos na EJFGV e como auxiliamos nossos clientes através de consultorias

Quer saber como também podemos te ajudar? Confira nossas soluções em data science.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.