Blog

Custo marginal: como utilizar e otimizar o cálculo em sua empresa

Ao expandir seus negócios, o gasto com o que é produzido sempre deve ser levado em consideração, afinal, o valor dispensado em mão de obra e matéria prima serão possivelmente ajustados, conforme o aumento de produção. Para evitar prejuízos e desperdícios você deve conhecer o custo marginal. 

O custo marginal é uma relação matemática que atua no cálculo de um “ponto ótimo”, de forma que o custo do aumento de uma unidade de produção seja igual ao custo médio total, mostrando desta forma em qual quantidade deve-se produzir para que todos os gastos sejam otimizados. 

Saber utilizar este cálculo traz benefícios para sua empresa como crescimento de lucro e possivelmente um aumento de produtividade ao perceber que talvez a equipe esteja produzindo menos do que ela é capaz. 

Ao longo do texto, explicaremos o que é o custo marginal, como ele pode ajudá-lo, o que envolve seu cálculo e como ele pode ser inserido de forma efetiva na sua empresa. Continue a leitura! 

O que é custo marginal? 

De acordo com a Lei dos Rendimentos Marginais Decrescentes, a partir do crescimento da produção o custo marginal também crescerá. Isso acontece porque ao acrescentar mais volume em sua constante produtiva, também crescem os gastos de produção. 

Desta forma, podemos dizer que custo marginal é a mudança no preço total de uma produção ao aumentar ou diminuir a quantidade produzida. 

Para o consumidor, isso pode ser traduzido como o preço, ou seja, o custo adicional de comprar mais um item, já para a empresa, seria o custo de produção. 

A importância do custo marginal nas empresas

Quando aumentamos a nossa produção, o custo marginal também aumenta, uma vez que os recursos necessários para que se produza mais também sofrem acréscimos, porém, o contrário também deve ocorrer. 

Ao realizar o custo marginal, as empresas calculam quanto irá custar sua produção, atingindo assim um ponto de equilíbrio ideal, reduzindo os custos e aumentando a produtividade. 

Para sermos mais claros, suponhamos que uma empresa trabalhe com um maquinário que seja altamente custoso e que produza apenas 100 peças diariamente, apesar de que sua produção máxima seja 200. 

O custo marginal ajudará a empresa a perceber que o valor perdido ao produzir somente metade da capacidade máxima poderia retornar em mais contratação de mão de obra e, ainda, lucro adicional. 

É preciso saber qual é a capacidade produtiva máxima de seu negócio, e o custo marginal também apontará isso. 

A expansão de um empreendimento é sempre almejada, porém, é preciso ter controle sobre como isso acontece para não exceder ao mercado e acabar por gastar mais do que lucrar. 

Custo marginal e custo médio

Para sabermos exatamente se nosso empreendimento está dando o retorno esperado, utilizamos o comparativo entre o custo marginal e o custo médio. 

O custo médio é a média geral de produção, enquanto o custo marginal é a variação do custo adicional para produzir mais uma unidade. 

Para encontrar o custo médio, nós dividimos o custo total da produção pela quantidade de unidades produzidas. 

Se o valor do custo médio for menor do que o custo marginal, isso significa que o negócio está sofrendo prejuízos e precisará passar por ajustes, mas, se o valor for maior do que o marginal, isso indica que a empresa está lucrando. 

O que o custo marginal envolve? 

Os custos fixos e variáveis são fundamentais para o cálculo do custo marginal, por isso, é preciso determinar os valores e as definições de ambos de forma bem clara. 

Para facilitar, podemos definir de forma simples e clara: 

Custos fixos

São aqueles que costumam não sofrer mudanças em seu valor e estão presentes todos os meses. 

Por exemplo, aluguel, custo com programas de software e pagamento dos funcionários. 

Esses custos não sofrerão influência da produção da empresa. 

Custos variáveis

Os custos variáveis não são exatamente mensais e seus valores podem sofrer alterações

Podemos usar como exemplo a compra de matéria-prima, pagamento de horas extras ou de impostos como IPVA e IPTU que acontecem somente no início do ano. 

Esse tipo de custo sofre influência direta do nível de produção, uma vez que, produzindo mais, será necessária mais matéria-prima, por exemplo.  

Como fazer o cálculo do custo marginal? 

Com esses termos em mente, podemos entender como funciona o cálculo do custo marginal com um exemplo simples. 

Suponhamos que o custo fixo de sua empresa seja de R$5000,00, enquanto o custo variável está em torno de R$2500,00

Seu custo total será de R$7500,00 para produzir 100 unidades de um determinado produto, mas, em determinado mês, ocorreu um aumento em sua produção. 

No mês em questão foram produzidas 50 unidades a mais com um valor adicional de R$150,00

Então, neste mês teremos R$7650,00 de gasto total e 150 peças produzidas. 

Com estes dados, usaremos a seguinte fórmula para realizar o cálculo do custo marginal: 

Custo marginal = Custo total / Quantidade produzida. 

Ou seja: 

Custo marginal = 7650 / 150

Custo marginal = 51

Portanto, nosso custo marginal estará sendo de R$51,00

Para sabermos  se estamos tendo lucro ou prejuízo, basta dividir o custo total pela quantidade produzida, tendo assim o custo médio, e comparar o valor obtido com o custo marginal.  

Não perca tempo!  

Com toda certeza você já ouviu falar na expressão “tempo é dinheiro” e, cada vez mais, isso se torna uma realidade

Deixar de utilizar o custo marginal pode ser prejudicial ao seu negócio uma vez que você pode estar perdendo a oportunidade de expandir sua produção e aumentar os seus lucros. 

A EJFGV atua no mercado realizando serviços financeiros para empresas que desejam expandir seus negócios. 

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress