Precificação de Produtos: Como definir um preço ideal?

Precificação de Produtos: Como definir um preço ideal?

A precificação de produtos e serviços é um dos maiores desafios do empreendedor. Não basta pré-estabelecer um preço de acordo com o que o empresário julga o adequado, é preciso ir além, definindo os valores com base em uma análise profunda de mercado.
Para chegar ao preço de venda ideal, é preciso considerar todos os custos do negócio, padrões de mercado, margem de lucro desejada, percepção de valor dos clientes e vários outros fatores.
Neste processo, também é importante contar com a ajuda de uma pesquisa de público e concorrência, além de calcular bem os custos que você tem com mão de obra, matéria prima, produção e, talvez, transporte. Pensando nisso, preparamos de forma clara e sucinta algumas dicas para que você não cometa falhas na hora de precificar seus produtos. Confira!

Por que devo estar atento à precificação?

Observe a estruturação da pergunta: você deve estar atento aos preços, de forma geral, não somente aos seus. Precificar não deve tratar somente sobre estabelecer o preço de algo, mas sim de uma estratégia e, para isso, é preciso observar bem os valores praticados por outras empresas que oferecem produtos semelhantes aos seus.
Obviamente, questões particulares a sua empresa também devem ser levantadas. É importante que, para estipular o quanto custará seu produto, o preço envolvido deve abarcar todos os custos de produção da unidade e também seu percentual de lucro, mas é preciso ao levantar este valor.
Se está começando agora uma empresa você deve ter ciência de que sua marca e trabalho não serão conhecidos de imediato no meio e, se comparados com marcas antigas que fazem um preço menor, é bastante improvável que clientes optem pelo seu trabalho ao invés do já conhecido.
Lembre-se sempre: é mais importante ter um primeiro lucro baixo, mas estar lucrando e crescendo, do que estagnar suas vendas na esperança de um lucro alto de imediato.
A esta altura você pode estar se perguntando: meu preço não irá refletir na qualidade do meu produto? É isso que vamos te ajudar a entender.

O preço pode afetar no valor do produto?

Um dos receios dos empreendedores ao precificar seus produtos é o reflexo que isso pode ter no valor do que está sendo vendido. Para entendermos precisamos ressaltar a diferença entre preço e valor.
De forma clara, podemos dizer que o preço se dá em sua forma numérica, ou seja, o quanto em reais terei que pagar pelo produto ou serviço. É disto que temos falado até aqui: o quanto, em dinheiro, devo cobrar.
O valor, por sua vez, está atrelado ao quanto o consumidor considera que aquilo valha. A qualidade do produto e a necessidade de consumo são as características mais levadas em conta para estabelecer de fato quanto o produto vale.
Geralmente, atrelamos nossa visão de preço a de valor: quanto mais caro, maior a qualidade. Isso não deixa de ser real quando consideramos que produtos feitos com melhor matéria-prima custam mais e, logo terão seus preços mais elevados, porém isso não é uma regra.
Ao estabelecer o quanto cobrará por seu serviço o empreendedor deve se lembrar que os que já estão no mercado podem ter seu preço mais elevado justamente por já serem reconhecidos. Para estabelecer o valor da sua marca é necessário que se tenha um atrativo que a diferencie, e o preço pode ser esse chamariz.
Isso não significa que você deva, obrigatoriamente, ser o de menor preço na área. Tenha como foco um preço intermediário com o que se encontra no mercado.
Caso você não seja mais um empreendedor iniciante no ramo e o valor de seu produto esteja consolidado, você pode cogitar rever seus preços, mas com a cautela necessária para que não tenha o efeito inverso ao esperado.

Quando devo rever os preços do meu produto?

Como toda e qualquer decisão a ser tomada em uma empresa, é de extrema importância que seja consultado o fluxo de caixa.
Caso as vendas estejam progredindo bem, talvez seja a hora de analisar um aumento na porcentagem de lucros em cada peça ou serviço vendidos. É importante que este aumento se dê de forma gradual, sem ajustes alarmantes que possam espantar os clientes já conquistados.
Outro cenário imaginável para o ajuste de preços é o da economia. Os gastos para a produção ou manutenção de todos os produtos e serviços aumentam constantemente, tornando necessária as mudanças nos valores cobrados.
Toda alteração deve sempre ser feita calculando os custos e o lucro sobre o que é ofertado aos clientes para que o funcionamento de sua empresa seja mantido, por isso é importante frisar os principais pontos dentro de uma precificação de produtos.

3 passos para precificar seus produtos de uma forma simples

Até agora, levantamos pontos importantes para serem debatidos quando tratamos do quanto cobrar por um produto ou serviço, mas, se pudéssemos resumir o que foi dito em uma “fórmula”, a colocaríamos da seguinte maneira:

1- Liste seus concorrentes


Faça uma pesquisa sobre quem são seus concorrentes, quais produtos eles oferecem e os organize em forma de tabela, colocando o preço de cada um dos itens.
Um bom exercício pode ser dar notas aos produtos dos concorrentes. Ter um bom senso crítico e conhecer não só o preço, mas também o valor da concorrência, é fundamental.

2- Conheça seu público


Tenha em mente o que o consumidor espera ao comprar seu produto. Saber o que ele quer e o quanto está disposto a pagar pelo serviço tem extrema importância. Quanto mais sabe-se sobre o cliente, mais se produz dentro de suas expectativas e mais rápido se ganha reconhecimento.


3- Faça as contas


Para que a precificação de sua empresa seja a melhor possível, é necessária uma conta básica entre custos e lucros.
Em um exemplo base, digamos que sua empresa seja uma loja de roupas. Começamos os cálculos pelo custo de produção das mesmas. Vamos supor que você faça 30 peças por mês e cada uma lhe custe R$10,00.
30 x R$10,00 = R$300,00 em gasto de produção.
Além da produção, devemos calcular também os gastos como o aluguel da sua loja, as contas de água, luz, telefone, internet e um possível transporte. Vamos estabelecer um valor fictício de R$1000,00 para estes gastos.
R$300,00 + R$1000,00 = R$1300,00 em gastos gerais.
Por fim, também é importante ter em mente um valor de lucro desejável. Coloquemos o valor de R$500,00.
R$1300,00 + R$500 = R$1800,00 em valor total que deve ser faturado ao mês.
Daí chegamos ao preço: basta a divisão simples do valor faturado pelas peças produzidas no mês. R$1800,00 / 30 = R$ 60, 00 no valor unitário de cada peça.
Com toda certeza, fazer estes cálculos na vida real não é assim tão simples, por isso existem empresas e pessoas especializadas em não só ajudar nos cálculos como também fazer toda a pesquisa e apuração envolvida no processo.


Procure um profissional


Empreender nem sempre é simples, mas contar com quem realmente entende de empreendedorismo torna tudo mais acessível. Algumas empresas de gestão financeira realizam este trabalho de forma completa.
Procure profissionais capacitados, que se encaixem na realidade de sua empresa e atenda a suas demandas. Quanto à precificação de produtos, nós podemos te ajudar! Fale conosco pelos diferentes meios encontrados em nossa página de contato.

Leave a Reply

Your email address will not be published.