A criação de um negócio próprio é o sonho de muitos empreendedores e ideias não faltam. Entenda como se organizar e começar sua empreitada.

Blog

Criação de um negócio: como e por que começar a empreender?

A criação de um negócio próprio é o sonho de muitos empreendedores, novos e antigos no mercado, e ideias de novos empreendimentos não faltam.

Muitas pessoas tendem a não levar o projeto adiante devido ao medo, já que fundar uma empresa é, realmente, algo complicado de se fazer. 

Contudo, ao entender bem os riscos e vantagens da sua empreitada, bem como as formas de organizá-la e começar a prática, tendem a ajudar no pontapé inicial, e é isso que faremos neste artigo. 

Quer saber mais? Continue sua leitura.

Como identificar as oportunidades de criação de um negócio?

Partindo do pressuposto de que você já tem uma ou algumas ideias, é importante se colocar no papel de investidor.

Em outras palavras, é necessário avaliar qual dessas propostas se encaixa melhor no seu perfil de investimento e, assim, representa uma melhor oportunidade.

Para isso, você pode começar se fazendo as seguintes perguntas:

  • Esse empreendimento pode satisfazer minhas necessidades pessoais e profissionais?
  • Estou disposto a investir por iniciativa própria ou é melhor seguir por caminhos já estruturados?
  • Eu tenho condições de arcar com os custos desse empreendimento, tanto de abertura quanto de manutenção?
  • Esse investimento reflete meus valores?

Dito isso, fica mais fácil entender que não se deve começar já com a abertura de um negócio. Primeiro, é necessário elaborar um planejamento para que tudo seja feito com calma e uma base sólida seja construída.

Quais as vantagens da criação de um negócio?

Existem diversos fatores que motivam as pessoas a investirem em negócios próprios, além dos possíveis sonhos profissionais.

Alguns deles são:

Controle

Um grande diferencial de ter seu próprio negócio é o controle sobre suas ações.

Remanejamentos e mudanças de rota não precisam passar pelos processos burocráticos de empresas, por exemplo.

Mas lembre-se que isso não significa que não deva haver constância. Um bom planejamento tende a garantir melhores resultados.

Escolha da equipe

Não é novidade que trabalhar com pessoas alinhadas aos mesmos objetivos e propósitos que você traz um grande alívio para o dia a dia. 

A liberdade de escolha de uma equipe que, dependendo do seu empreendimento, não precisa ser tão extensa, fica a seu critério.

Escolha de área

Empreender também é uma oportunidade de trabalhar com o que gosta

Por isso é tão importante que você aproveite a chance de escolher um negócio que represente sua área de atuação tão quanto seus valores e missões.

Agilidade

Levando em conta que seu negócio começará como uma micro ou pequena empresa, a organização hierárquica é menor e, consequentemente, a tomada de decisões leva menos tempo.

Criatividade

Ser dono do próprio negócio representa muitas responsabilidades e tarefas, mas ao mesmo tempo permite que você faça um ótimo proveito da sua criatividade e das suas ideias.

Como consequência, sua empresa vai ganhando a sua cara, o que te proporciona muito mais motivação para trabalhar.

Quais são as maiores dificuldades da criação de um negócio?

Agora, vale lembrar que nem tudo são flores. Empreender também vem com uma grande quantidade de desafios a serem superados. 

Entretanto, todas essas questões podem ser resolvidas com paciência e um bom planejamento para te ajudar a seguir nos eixos. 

Dentre elas, estão:

Gestão de pessoas

O pessoal é considerado o maior ativo de uma organização. Por isso, até empresas maiores enfrentam constantes desafios na hora de organizar e motivar seus liderados.

Uma das principais questões encontradas no mercado é a própria formação de lideranças, ponto fundamental para manter a constância no crescimento de um negócio.

Burocracia

Aqui, entram as dificuldades relacionadas à regulamentação jurídica, que tende a ser um grande empecilho principalmente nos momentos iniciais.

A adequação às novas normas, como é o caso da LGPD, é também uma grande questão para empresas já estabelecidas.

Por isso, é importante se atentar a esse aspecto desde o início, evitando futuros problemas.

Gestão financeira

Uma boa gestão financeira é baseada em um preparo adequado, buscando evitar ao máximo grandes vulnerabilidades em tempos de crise.

Para isso, a chave é conhecer bem a realidade do seu negócio e estar atento às suas oportunidades de investimento e expansão.

Inovação

O mercado vem evoluindo em ritmo cada vez mais acelerado, bem como o nível de exigência do público. 

Por isso, o desenvolvimento de novos produtos e serviços, aliado a grande dependência da Tecnologia da Informação é relatado como uma grande dor dos empreendedores.

Marketing

Um ponto importante para lançar seu negócio no mercado é a atração de novos clientes, seguida pelos níveis de satisfação

Por isso, cada vez mais empresas buscam cavar melhor seu espaço nas redes sociais, através de estratégias de inbound e marketing de conteúdo, por exemplo.

Design Thinking na criação de um negócio

Quando temos uma ideia, é bem comum que não saibamos como começar a desenvolvê-la e estruturá-la propriamente

Por isso, vale considerar algumas técnicas usadas por alguns empreendedores do mercado, como o Design Thinking.

Esse método consiste na idealização completa do seu negócio, incorporando em detalhes desde a etapa do planejamento até o contato com o cliente, e baseando-se em humanização e construção de público-alvo.

O Design Thinking é baseado em 5 etapas principais. Veja só:

  1. Empatia

O primeiro passo é se colocar no lugar do seu potencial cliente e buscar identificar suas dores. 

Para facilitar essa etapa, você pode se perguntar qual problema o seu produto ou serviço soluciona ou o que levaria as pessoas a comprarem com você.

  1. Definição

Uma vez que você entendeu quem é seu público-alvo e o que ele procura, é hora de definir quem é, de fato, o seu cliente

Isso pode ser feito através do desenvolvimento de personas, que te ajudarão a visualizar melhor essas pessoas.

  1. Idealização

Aqui, você começa a desenvolver a sua ideia.

Ou seja, é hora de tirar os planos do papel, começar a organizá-los, estruturá-los, montar orçamentos e ver como você poderá oferecer suas soluções para o mercado.

  1. Prototipagem

Com o planejamento pronto, é hora de começar a trabalhar no seu produto ou serviço. 

Nessa etapa, serão criadas peças piloto ou prestações de serviços modelo, pensando na organização criada anteriormente.

  1. Testes

Finalmente, os modelos desenvolvidos na etapa anterior devem ser enviados para teste

É possível fazer isso com a seleção de um público, que deve avaliar a eficácia e usabilidade

Isso proporciona uma visão do outro lado do produto e, assim, permite que erros sejam identificados antes da montagem de estoque ou distribuição em larga escala. 

Um planejamento que contemple todo o seu negócio

Como vimos ao longo do texto, novos empreendimentos – ou até mesmo investimentos naqueles que já existem – exigem estudos aprofundados sobre todos os desdobramentos daquela ideia

Pensando nisso, vale lembrar que diferentes perspectivas podem proporcionar debates mais amplos e minimizar as chances de erro. 

É por isso que o time da EJFGV oferece consultorias personalizadas que ajudam a tirar esses planos do papel, como já fizemos com diversos clientes.

Quer saber como podemos te ajudar? Confira nossas soluções em plano de negócios.

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado.