Blog

Curva ABC: o que é e como calcular?

Se você tem uma empresa, provavelmente já percebeu que uma das coisas mais importantes para o sucesso do seu negócio é o fluxo de caixa positivo no final do mês. Uma das formas de garantir esse controle é por meio da Curva ABC.

Esse é um método antigo, que permite descomplicar e manter controle dos seus produtos e estoques para planejar os próximos passos.

Quer saber mais sobre? Continue lendo o artigo e vamos te contar um pouco mais!

O que é a Curva ABC?

A curva ABC é um método que define a prioridade de um produto sobre outro, analisando sua importância, impacto, ou demanda

Suas categorias são as letras do seu nome, sendo assim:

  • Categoria A: Produtos de maior valor, com maior faturamento;
  • Categoria B: Produtos de médio valor, com médio faturamento;
  • Categoria C: Produtos de menor valor, com menor faturamento.

Normalmente, os produtos de maior valor são os que têm maior demanda e estão, ou devem estar, em menor quantidade. O mesmo funciona ao contrário. Isso é explicado de forma mais exata pelo Princípio de Pareto.

Curva ABC e Princípio de Pareto

Uma forma mais matemática de explicar a Curva ABC é através do Princípio de Pareto.

Segundo Vilfred Pareto, em termos gerais, 80% dos resultados vêm de 20% das causas. Ou seja, se aplicado aos lucros de uma empresa, 80% deles foram causados por apenas 20% dos fatores. 

A Curva ABC é uma forma de segmentar e facilitar a análise da técnica 80-20, seguindo seus princípios:

  • A: 80% do valor vêm de 20% dos produtos;
  • B: 15% do valor vêm de 30% dos produtos;
  • C: 5% do valor vêm de 50% dos produtos.

Parece complicado, mas veja da seguinte forma: para que seu estoque seja eficiente e haja menos desperdício, grande parte do seu faturamento deve partir de produtos estocados em menor quantidade, bem como funciona a lógica inversa. 

Caso queira se aprofundar mais nesse princípio, confira nosso artigo sobre Gráfico de Pareto e sua construção na prática.

Qual a importância da Curva ABC?

A curva ABC é um método prático de organizar os serviços ou produtos de uma empresa, como marketing ou estoque. Vamos usar este último como exemplo. 

Para que sua receita esteja positiva no final do mês, é necessário que você tenha gerado lucro, certo? Mas isso não pode ser feito sem um controle de produtos que evite desperdícios e prejuízos. 

Compreendendo quais produtos vendem mais ou menos, bem como os que geram maior ou menor faturamento, você pode:

  • Planejar seu estoque: acompanhe a vida mercadológica dos produtos num âmbito mais geral, analisando temas como monitoramento de mercado, impostos, fornecedores, taxações, etc.
  • Planejar suas vendas: Se determinado produto não gera tanto lucro, é possível poupar esforços da equipe para vendê-lo e, ainda, transferir esse esforço para o estímulo dos clientes à compra daqueles mais lucrativos.

Além disso, é possível fazer a análise da curva de forma periódica, possibilitando maior orientação para balanços semestrais, que são mais complexos, ou até mesmo completar análises de indicadores operacionais gerais, também feitos periodicamente.

O que devo saber para calcular na prática?

A Curva ABC pode ser desenvolvida em programas como o Excel, por exemplo, por meio de planilhas prontas. Para isso, precisamos de alguns dados. São eles::

  1. Especificidades do produto: nome, quantidade e valor unitário;
  2. Valor total de cada produto: multiplicação do valor unitário pela quantidade de produtos;
  3. Valor total acumulado dos produtos;
  4. Porcentagem dos valores: deve-se gerar a porcentagem total de cada produto e do total acumulado;

Com esses dados calculados, será possível classificar quais produtos pertencerão às categorias A, B e C, bem como dividi-los em zonas para facilitar a visualização

Essas informações podem soar muito abstratas à primeira vista, então vamos a um exemplo:

  • Se seu faturamento mensal for de R$ 400 mil, e o produto X representar R$ 98 mil desse faturamento, qual seria sua contribuição para o total?

Para isso, basta fazer uma regra de 3, onde 400 corresponde à 100% e 98 corresponde à Y. Multiplicando, vemos que Y = 24,5.

Logo, o produto X tem uma contribuição de 24,5% no faturamento total. 

Realizando esse mesmo cálculo com os demais produtos, é possível estabelecer quais pertencem às categorias A, B ou C.

Como os clientes se organizam na Lei de Pareto?

Para fazer uma análise ainda mais completa de como seus produtos se movimentam, podemos analisar o comportamento de seus consumidores.

Seguindo a mesma linha de raciocínio da segmentação dos produtos, Pareto classifica os consumidores em categorias:

  • Clientes A: representam até 80% das vendas;
  • Clientes B: representam até 15% das vendas;
  • Clientes C: representam até 5% das vendas.

Os fatores utilizados nessa categorização podem variar entre a quantidade e a frequência com a qual aqueles clientes compram, até a faixa de preço dos produtos que eles costumam comprar. 

E aí? Conseguiu entender um pouco mais sobre a Curva ABC e como ela pode ajudar a planejar seu negócio? Se quiser aprender sobre outros métodos de análise financeira, confira mais artigos do nosso blog!

E se você não quer fazer isso tudo sozinho, nós da EJFGV estamos aqui para te ajudar! Confira nossos serviços em soluções financeiras e garanta o melhor para a sua empresa!

0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress